Categorización de los conflictos organizacionales en embarcaciones de apoyo marítimo brasileñas


Resumen

Las relaciones de trabajo marítimo en un entorno de la industria petrolera en alta mar han sido estudiadas recientemente, pero las organizaciones de embarcaciones de apoyo marítimo no tienen ningún destaque. Estas cumplen con una misión de soporte en esta industria, teniendo sus tripulantes en confinamiento y bajo otras situaciones desgastantes. Esto se presenta como un escenario, donde se presume que existen muchos conflictos organizacionales. Metodología. En un estudio de caso, que tendrán sus relaciones de trabajo en las embarcaciones colocadas a la luz de la "Taxonomía de Conflictos Organizacionales según su Ámbito de actuación" desarrollada por Armadans, Vega y Sacristán (2016). Se utilizó el análisis contenido para identificación de evidencias empíricas, dentro de un aporte bibliográfico pautado por revisión bibliográfica digital, en fuentes primarias para la selección de los textos científicos que pudieran describir las situaciones y rutinas de trabajo a bordo. Recopilada en 07/07/2018, la base de datos de Google Académico escrito en portugués, la sintaxis de búsqueda de "conflictos de organización" en el período 2017 y 2018, y "apoyo marítimo" en el período de 2014 a 2018. Resultados. Con las evidencias empíricas fue posible la categorización de los conflictos organizacionales. Los dos más destacados conflictos organizacionales presentes son los vinculados a la estructura organizacional y los por competición individual por recursos escasos. Discusión. Se comprueba la necesidad del compromiso de la Alta Dirección para una mejor gestión de conflictos a bordo de embarcaciones, con aplicación de métodos de resolución de conflictos. Se presentan sugerencias de mitigación y aprovechamiento de los conflictos, así como las limitaciones del estudio.


##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Cómo citar

Maciel, M., & Pereira, J. (2019). Categorización de los conflictos organizacionales en embarcaciones de apoyo marítimo brasileñas. MLS Psychology Research, 2(1). Recuperado a partir de https://mlsjournals.com/Psychology-Research-Journal/article/view/152


Biografía del autor/a

Monica Pires Sant´Anna Maciel

Abogada e alumna de Mestrado na Funiber (Brasil)


Citas

ABEAM (2018). Relatório da Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil: Abril/2018. Associação de Empresas de Apoio Marítimo. Retrievedfrom http://abeam.org.br/arquivos/1527618189.pdf

Armadans, I, Vega, A. e Sacristán, S. (2016).Resolução de Conflitos no Âmbito Organizacional – Os Conflitos e Seus Tipos. In Formação Universitária: Mestrado em Resolução de Conflitos (Vol. III Capítulo 5 pp 24-29). Santa Catarina: Fundação Universitária Ibero-americana.

Bello, T. C. S. (2014). Perfil Sócio-Demográfico, Laboral e Saúde Reprodutiva de Mulheres Trabalhadoras Marítimas (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal Fluminense – Rio de Janeiro. Retrievedfrom https://app.uff.br/riuff/handle/1/3004.

Bubolz, P. W. (2016) A Exploração de Pessoas através do Trabalho Escravo em Atividades Marítimas Embarcadas.Âmbito Jurídico. Rio Grande, XIX, n. 155. Retrieved from http://www.ambitojuridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=18324&revista_caderno=29>

Cal, J. G. R. (2015) A Comunicação Organizacional Aplicada ao Setor de Petróleo e Gás: Um Estudo de Caso de Repaginamento de Marca(Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal Fluminense – Rio de Janeiro. Retrieved from http://www.comunicacao.uff.br/wp-content/uploads/2016/07/TCC-Jos%C3%A9-Gustavo-Ranzeiro-Cal.pdf.

Cunha, F. S. S. G. (2017a). Gestão de Conflitos: Bombeiros Municipais de Viana do Castelo – Um estudo de caso(Dissertação de Mestrado).Instituto Politécnico de Viana do Castelo de Portugal. Retrieved from http://hdl.handle.net/20.500.11960/1997.

Cunha, T. O. (2017b) Terceirização, Condições e Relações de Trabalho no Setor de Sindas de Perfuração da Petrobras Macaé (Trabalho de Conclusão de Curso).Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro.Retrieved from https://app.uff.br/riuff/handle/1/5283.

Dias, F. M. (2015) O estresse ocupacional e a síndrome do esgotamento profissional (burnout) em trabalhadores da indústria do petróleo: uma revisão sistemática.Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. doi: 10.1590/2317-6369000106715.

Faria, V. H. P. (2014). Jurisdição Penal nos Meios Aquaviários Aplicada aos Crimes Cometidos a Bordo de Embarcações (Trabalho de Conclusão de Curso).Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Retrieved from https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/127575

Fernandes, I. M. L. (2015). Intervalo Intrajornada à Luz do Princípio da Dignidade da Pessoa Human(Trabalho de Conclusão de Curso) Universidade Tiradentes – UNIT, Sergipe. Retrieved from https://openrit.grupotiradentes.com/xmlui/handle/set/1648

Francine, A. R. G; Oliveira, L. C.; Andrade, C. C. (2017).O desafio da liderança na Gestão de Conflitos. Revista de Administração doUnifatea, 14(4):137-155. Retrieved from http://unifatea.edu.br/seer3/index.php/RAF/article/view/773

Freire, G. A. (2016). Uma Análise Panorâmica da Nacionalidade de Navios e o Caso Brasileiro(Trabalho de Conclusão de Curso).Universidade Federal Fluminense. Rio de Janeiro. Retrieved from https://app.uff.br/riuff/handle/1/4255

Gentil, G. C. (2017). A interação de Sistemas Adhocrático e Burocrático mediante a perspectiva retórica (Trabalho de Conclusão de Curso).Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Retrieved from http://hdl.handle.net/10183/174766

Luz, H. H. (2017). Análise Quantitativa dos Acidentes de Navegação em Águas Brasileiras entre 2006 e 2015 (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Retrieved from https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/181786.

Mendes, A. P. A., Teixeira, C. A. N., Rocio, M. A. R., D’Oliveira, L. A. S. (2017). Rebocadores portuários e marítimos. BNDES Setorial, 46, 127-165. Retrieved from http://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/14135.

Mendes Junior, C. H. R. (2017). Trabalho Petrolífero Offshore no Brasil: os direitos do trabalhador embarcado à luz do Princípio da Proteção (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN. Retrieved from https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24272

Motta Junior, A. M., Vasconcellos, C.E., Faleck, D., Orlando, F., Maia Neto, F., Dornelles, R. e Pelajo, S. (2014). Manual deMediação de Conflitospara Advogados Escrito por Advogados. Secretaria de Reforma do Judiciário ENAM- Escola Nacional de Mediação e Conciliação. Ministério da Justiça. Brasília-DF, Brasil. Retrieved from http://www.justica.gov.br/seus-direitos/politicas-de-justica/enam-2017/biblioteca/manual-med-adv.pdf

NORMAM-13/2003. Normas da Autoridade Marítima para Aquaviários. Diretoria de Portos e Costas. Marinha do Brasil.

NORMAM-30/2012. Normas da Autoridade Marítima para o Ensino Profissional Marítimo de Aquaviários.Diretoria de Portos e Costas.Marinha do Brasil.

Padilha, N. S. e Di Pietro, J. H. O. (2017).A Contribuição da OIT na Construção da Tutela Internacional do Direito ao Meio Ambiente do Trabalho Equilibrado. Rev. Fac. Direito UFMG, Belo Horizonte, 70, 529-559.doi: 10.12818/P.0304-2340.2017v70p529.

Paniza, M. D. R; Cassandre, M. P.; Senger, C. M. (2018).Os Conflitos sob a Mediação do Laboratório de Mudança: Uma Aprendizagem Expansiva. RAC, Rio de Janeiro, 22 (2):271-290. doi: 10.1590/1982-7849rac2018170271

Pedreira, N. N. (2017). Gestão de Conflito Organizacional: Estratégias de Resolução de Conflito na Marinha de Guerra da Guiné-Bissau (Dissertação de Mestrado).ISCPSI - Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Internade Portugal. Retrieved from http://hdl.handle.net/10400.26/21020

Pedroso, M. F. e Kummel, M. B. (2017).A Proteção do Trabalhador Marítimo Frente ao Uso dos Registros de Bandeiras de Conveniência. Meritum– Belo Horizonte, 12(1), 15-42.Retrieved from http://www.fumec.br/revistas/meritum/article/view/5027

Pereira, A. M. (2017). O Processo Arbitral: Aspectos Gerais e Princípios Jurídicos Estruturantes no Brasil e em Portugal (Dissertação de Mestrado). Universidade Autônoma de Lisboa, Portugal.Retrieved from http://hdl.handle.net/11144/3382.

Pina e Cunha, M., Rego, A., Campos e Cunha, R., Cabral-Cardoso, C., e Neves, P. (2014). Manual de Comportamento Organizacional e Gestão.(7.ª Ed). Lisboa: RH Editora.

Pollmann, R (2018). Um Estudo Multicaso de Indicadores de Desempenho na Indústria Naval (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal de Santa Catarina - Joinville.

Rabêllo Filho, R. L. N. (2017). Regimes internacionais e segurança do modal de transporte aquaviário – marítimo em um mundo globalizado: o ISPS Code no Porto de Aratu – Candeias e no Porto de Salvador (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal da Bahia. Retrieved from http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/24528.

Ramos, H. P. (2014). “Trabalho Offshore, Saúde e Ruptura de Laço Social:Uma análise sobre a situação dos empregados Offshore da Petrobras na Bacia de Campos”(Trabalho de Conclusão de Curso). Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense. Retrieved from https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/5216/1/TCC%20HELLEN.pdf.

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 18, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2017 que dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários, dos agentes intermediários e das empresas que operam nas navegações de Apoio Marítimo, Apoio
Portuário, Cabotagem e Longo Curso e estabelece infrações administrativas. Diário Oficial da União de 26/12/2017 | Edição: 246 | Seção: 1 | Página: 991-992 Órgão: Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil / Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ).

Restum, G. P. (2017). Análise de Operações de Abastecimento de Carga Geral para Unidades de Produção Offshore (Trabalho de Conclusão de Curso) Universidade Federal do Rio de Janeiro. Retrieved from https://monografias.poli.ufrj.br/monografias/monopoli10021753.pd.

Ribeiro, F. M. B.; Moreira, O. J.; Ferreira, C. G.; Murta, A. L. S.; Murta, M. P. A. (2017). Gestão de Estoque de Óleo Marítimo: Impacto no Controle Físico. Revista UNIABEU, 10(25).Retrieved from http://revista.uniabeu.edu.br/index.php/RU/article/view/2842/pdf

Ribeiro, A., Oliveira, L., & Andrade, C. (2017). Os Desafios da Liderança na Gestão de Conflitos. Revista De Administração Da UNIFATEA, 14. Retrieved from, de http://www.publicacoes.fatea.br/index.php/raf/article/view/1883/1395

Ribeiro, M. J.; Duarte, M.; Basto, M. (2018). O Papel da Variável do Gênero na Gestão de Conflitos Organizacionais: O Caso de uma Empresa Têxtil. In II InternationalForumon Management: Desafios Da Gestão Atual. Área Temática: Gestão de Recursos Humanos. pp 239-261. Universidade do Algarve-Portugal. Retrieved from https://hdl.handle.net/10400.1/9857.

Salles, B. G. C. e Mello. T. R. (2017). Conflitos Organizacionais: Ameaça ou Oportunidade?(Artigo de Graduação).Fundação Universitária Vida Cristã – Faculdade dePindamonhangaba – SP. Retrieved from http://www.bibliotecadigital.funvicpinda.org.br:8080/jspui/bitstream/123456789/450/1/SallesMello.pdf

Santana, A. M. R. (2016).Profissão: Oficial da Marinha Mercante (Dissertação de Mestrado). Pontifícia Católica de São Paulo - SP. Retrieved from http://repositorio.pgsskroton.com.br/bitstream/123456789/16080/1/ALEXANDRE%20MORAES.pdf

Schneider E. (2016). A Regulação Econômica Aplicada aos Serviços de Praticagem no Brasil: Análise de Sensibilidade à Paridade do Poder de Compra(Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Retrieved from http://hdl.handle.net/10183/148674.

Sousa, J. A., Martins, G. M. (2014). Eficiência Energética na Operação de Navios Especiais de Manutenção e Inspeção Submarina na Produção Offshore de Petróleo (Monografia de Conclusão de Pós-Graduação). Universidade Federal de Santa Maria – UFSM, Rio Grande do Sul. Retrieved from https://repositorio.ufsm.br/handle/1/1315.

Tomé, E.S (2016). A Internacionalização na Indústria petrolífera e a Crise do Preço de Petróleo em Angola(Dissertação de Mestrado). Instituto Superior de Gestão -Lisboa. Retrieved from https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/15223/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Eestrategia%20de%20Investimento.pdf.

Vargas, I. B. (2017).Conciliação, Mediação e Arbitragem como Métodos Alternativos de Solução de Controvérsias e Desjudicialização de Conflitos (Trabalho de Conclusão de Curso).Universidade do Sul de Santa Catarina – Aranraguá. Retrievedfrom https://riuni.unisul.br/handle/12345/3823.

Villen, P. (2017). A face qualificada-especializada do trabalho imigrante no Brasil: temporalidade e flexibilidade. Caderno CRH, 30(79), 33-50. doi: 10.1590/s0103-49792017000100003